Copa do Mundo – A História da CAXIROLA

Copa do Mundo – A História da CAXIROLA
Copa do Mundo – A História da CAXIROLA

Fiquei intrigado com esta história da Caxirola. Pensei: “Este instrumento parece ser uma grande sacada de vendas. Como será que tudo aconteceu?” Bem, vou compartilhar com vocês o que consegui apurar.

A escolha da Caxirola para ser o “som da Copa” não tem nada a ver com a Fifa, mas sim com o governo brasileiro, que por meio do Ministério dos Esportes, esta chancelando projetos que ajudem a promover o País durante a Copa do Mundo. Os aprovados, como a Caxirola, podem estampar as marcas Fifa e Copa do Mundo 2014 em seus produtos. A expectativa é que aproximadamente cem produtos receberam esta certificação.

O artista Carlinhos Brown, ou Antonio Carlos Santos Freitas, é mesmo um gênio. Pegou o Caxixi, instrumento africano da cultura Bantu, um chocalho com uma alça, feito com palha trançada, cabaça e sementes, e o transformou junto com a multinacional norte-americana The Marketing Store em um instrumento de 4 alças, feito em plástico verde de cana-de-açúcar da Braskem. O objetivo é que seja a sucessora da Vuvuzela na Copa de 2014.

Com data de junho/2012, o pedido ao INPI feito pelo artista, inclui o registro da Caxirola não apenas como instrumento musical. O músico e empresário também solicitou a patente da Caxirola como jóia em “metais preciosos e suas ligas e produtos, nessas matérias ou folheados” bijuteria, relojoaria, instrumentos cronométricos, vestuário, calçados e até chapelaria.

A The Marketing Store pretende vender a R$ 29,90 cada um dos 1,8 milhão de instrumentos do primeiro lote. A previsão é que o instrumento esteja no mercado a partir de maio, já de olho na Copa das Confederações. Até o fim da Copa do Mundo, a empresa espera colocar no mercado entre 10 milhões e 50 milhões de Caxirolas. Se a demanda explodir, avisa a assessoria de imprensa da empresa, os fabricantes estão prontos para chegar à marca dos 100 milhões.

Lançado festivamente no Palácio do Planalto, em 23 de abril, com a participação da Presidente Dilma, o instrumento teve o seu primeiro teste de aceitação de público na reinauguração da Arena da Fonte Nova, em Salvador. Foram distribuídas 50 mil unidades entre as torcidas do Vitória e Bahia.

Já no primeiro tempo, esparramavam-se pelo gramado dezenas de Caxirolas. Logo viraram centenas. E se tornaram incontáveis quando os aficionados do Bahia decidiram descontar a frustração no juiz, nos bandeirinhas, nos adversários e nos jogadores do time do coração.

O comentarista esportivo Antero Greco, do Estadão, comentou no Twitter o que já está sendo chamado na rede social de ‘a revolta da Caxirola’: “A Caxirola é feita de plástico sustentável… sustenta a família de quem inventou, de quem aprovou, de quem vai vender…”

Para completar a polêmica, o jornal inglês The Guardian publicou neste domingo (28/04) um artigo intitulado “Caxirola: poupe-nos do som da Copa do Mundo 2014 do Brasil”. Nele, o jornal afirma que o chocalho de Carlinhos Brow lembra um instrumento criado na Inglaterra em 1966, que foi banido dos estádios por ter sido considerado uma arma nas mãos de torcedores revoltados.

Copa do Mundo – A História da CAXIROLA
Copa do Mundo – A História da CAXIROLA

Adolfo Brum

Adolfo Brum

Adolfo Brum é Hipnoterapeuta com certificação internacional, dedicado ao tratamento de problemas emocionais como: fobias, traumas, depressão e ansiedade. Hipnoterapeuta formado pelo OMNI Hypnosis Training Center. Hipnoterapeuta certificado pela National Guild of Hypnotists. Practitioner em PNL licenciado, com certificação internacional pela The Society of NLP™ e Richard Bandler®. Membro da National Guild of Hypnotists. Formado em Administração e pós-graduado em Gestão WEB, Adolfo Brum possui também sólida vivência na área comercial, com atuação em gerência comercial, redes de parcerias e marketing digital. Trabalhou em várias empresas de tecnologia, como Unisys e Embratel.Adolfo Brum Hipnoterapeuta Conheça o perfil profissional completo de Adolfo Brum clicando aqui. Conheça o site Consultório de Hipnose clicando aqui. Conheça o canal no YouTube de Adolfo Brum clicando aqui. Conheça o perfil de Adolfo Brum no Google+ clicando aqui.