Planejamento de Vendas – O que é Big Data? Conheça esta Tecnologia

O que é Big Data

O que é Big Data?


O que é Big Data? Podemos primariamente dizer que é a capacidade de analisar um volume inédito de dados digitais. Para as empresas, é uma ele é uma revolução comparável à popularização da internet. Em uma linguagem técnica, Big Data é definido como o conjunto de soluções tecnológicas capazes de lidar com dados digitais em volume, variedade e velocidade inéditos até hoje. Na prática, esta tecnologia permite analisar qualquer tipo de informação digital em tempo real, sendo fundamental para a tomada de decisões.


Big Data – Many Eyes – Ferramenta para Visualização de Dados – Palestrante: Fernanda Viegas
TEDx São Paulo – 14 de novembro de 2009

A Map­link, empresa brasileira especializada em digitalização de mapas, colocou em xeque a credibilidade dos anúncios da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) da cidade de São Paulo. A MapLink começou a calcular o volume de trânsito na capital paulista, tarefa então exclusiva da estatal.Nas primeiras horas de um feriadão, ao mesmo tempo que a CET divulgava os 200 quilômetros habituais de ruas congestionadas, as rádios que usavam o serviço da MapLink informavam 420 quilômetros.

Alguém estava errando a conta, e não foi difícil descobrir quem era. Enquanto a CET utiliza câmeras espalhadas pelas principais vias da cidade e o “olhômetro” de seus fiscais de trânsito para calcular o índice de congestionamento nos horários de pico, o software da MapLink, usado por empresas de rastreamento por satélite, cruza, em tempo real, as informações enviadas por cerca de 400.000 veículos espalhados pela cidade. Se a velocidade for plena, a pista está livre. A precisão é tanta que hoje, além dos mapas, a Map-Link vende informações sobre o trânsito para companhias de logística decidirem os melhores horários e rotas para suas entregas.

Esse é um dos muitos exemplos de uso do que se convencionou chamar de big data, ou “grandes informações”, numa tradução livre. Nos últimos anos, os especialistas em TI viram a emergência de novos fenômenos. Os dados mudaram. Não são somente textos e números dos 640 milhões de sites. Passaram a ser informações vindas dos sensores de localização em veículos (como os usados pela MapLink), dos GPSs e das antenas dos 6 bilhões de celulares em uso no mundo e dos 2,7 bilhões de comentários feitos no Facebook diariamente.Essa mudança veio acompanhada de outra igualmente importante. Os computadores, graças a novas tecnologias, como a inteligência artificial, aumentaram a capacidade de entender as informações.

Big Data no Planejamento de Vendas

Hoje, 90% do volume de dados digitais produzidos globalmente ainda não são digeridos, mas essa é uma situação que começa a mudar. A americana Walmart, a maior varejista do mundo, é considerada uma referência por conseguir colher dados online para impulsionar as vendas de suas lojas físicas. Os softwares desenvolvidos pela empresa conseguem, por exemplo, monitorar quando a discussão sobre o campeonato de futebol americano se intensifica na internet em diferentes cidades dos Estados Unidos. Sabendo disso, em questão de horas os gerentes de lojas dessas regiões passam a expor nas vitrines produtos de determinados times. A demanda interna por soluções de big data levou a varejista a criar em 2011 a WalmartLabs, uma subsidiária de tecnologia que nasceu da compra da Kosmix, uma startup americana.

A Kosmix­ ganhou fama em 2010 ao desenvolver um sistema que ajuda no gerenciamento de estoques das varejistas durante a black friday (sexta-feira negra), em novembro, principal dia de queima de estoques do varejo nos Estados Unidos. O software da Kosmix detecta, pela localização dos celulares dos clientes, o número de pessoas em cada loja. Com essa informação, os estoques de unidades que estão com vendas em baixa são enviados para as que estão vendendo mais.

A Lojas Renner, uma das maiores redes de vestuário do Brasil, investiu em 2010 em um sistema que comparava, em tempo real, as vendas de suas mais de 150 lojas. Com isso, foi possível identificar números fora do padrão. Nos dias em que as unidades localizadas em lugares frios vendiam muitos casacos, os gerentes das lojas com desempenho abaixo da média recebiam um aviso do sistema para mudar a posição do produto na vitrine. Em uma fase mais recente, o projeto ficou mais sofisticado. Ao lançar uma coleção, a Renner posta fotos de algumas peças no Facebook e verifica a aceitação do público. Isso ajuda na hora de prever o estoque necessário de cada produto. Diariamente, os gerentes das lojas recebem relatórios que consolidam dados como a previsão do tempo e comentários em redes sociais. “O software não ajuda só a reunir as informações. Também seleciona o que é confiável”, afirma Leandro Balbinot, diretor de TI da Renner.

Informações sobre Big Data

Informações sobre Big Data



Artigo Taggeado com

Comentários estão encerrados.