Terapia por hipnose

Home Office na Área Comercial

Home Office na Área Comercial

Home Office na Área Comercial


Desde pequenos, muitos de nós acompanhamos nossos pais acordando cedo para ir trabalhar, até porque muitos de nós tinhamos que ir também para à escola. Este é o ritmo ditado pelas empresas, onde as pessoas devem produzir em conjunto e em um local comum. Muitas tentativas de mudar esta dinâmica foram e estão sendo tomadas, visando otimizar cada vez mais a produtividade. Para a área comercial, principalmente para as equipes externas, esta mudança tem um nome: home office. O principal argumento para o uso do home office na área comercial costuma ser o de deixar o profissional de vendas mais próximo dos seus clientes. Mas e as desvantagens, elas existem? Bem, vamos analisar melhor esta modalidade de trabalho.

Home Office

Algumas empresas fornecem toda estrutura necessária para a criação de um pequeno escritório na casa do colaborador. O contato do profissional com a empresa é feito por e-mail, videoconferência ou telefone. Em alguns casos, é disponibilizado um programa onde o colaborador efetua o registro do horário de início e término do trabalho, como se fosse “bater o cartão ponto” ou “passar o crachá”.

O ambiente doméstico pode acarretar alguns problemas que muitos colaboradores precisam enfrentar durante sua rotina de trabalho, como: fácil acesso a geladeira e TV, estagnação profissional, interrupção repentina do trabalho e presença de crianças.

Pesquisa Global

De acordo com pesquisa global da Robert Half (empresa de recrutamento e seleção), para 92% dos diretores de RH, coordenar uma equipe remota é mais desafiador do que a gestão de profissionais no local de trabalho. Apesar da dificuldade na gestão, 64% das empresas brasileiras declaram já permitir, ainda que de forma esporádica e apenas para alguns cargos, que seus colaboradores trabalhem em casa, enquanto 11% dizem ter uma política fixa, e válida para todos os funcionários.

A pesquisa com 1.777 diretores de RH de 13 países e grandes centros revela que mesmo com o trabalho remoto liberado de alguma forma no Brasil para 64% das empresas, apenas 52% afirmam que a organização tem uma política/e ou orientações para gestão do trabalho remoto. De acordo com 49% dos diretores de RH, o trabalho remoto não é permitido, pois há necessidade dos profissionais estarem fisicamente na empresa para executar as funções. A falta de supervisão é o segundo motivo para 29% dos entrevistados para não liberar home-office, seguido por razões de segurança (28%). Na média mundial, com exceção dos casos em que a presença na organização é obrigatória, o principal motivo para não permitir o trabalho remoto é em função da segurança (30%).

O Futuro

Se por um lado, o home office oferece ao profissional de vendas uma maior proximidade com os clientes e uma possível melhoria da qualidade de vida, por outro, exige disciplina para evitar os problemas decorrentes do distanciamento do ambiente de trabalho. Qual será o escritório do futuro? Trabalharemos em casa? De forma parcial ou total? Os escritórios se esvaziarão? Difícil prever, mas não podemos negar que este processo de mudanças já começou.


Artigo Taggeado com